Letras Elétricas
Textões e ficções sem compromisso
by J. G. Gouvêa Atualizado em 24 de junho de 2021

O Tempo no Caminho

Publicado em: 14/06/2012
O velho relógio bate nove e quinze no peito
sorrindo para um piano que tocou meu lábio
como o som áspero da morte que vem perto.
Como ando provisoriamente vivo, e vivo reto,
procuro um desvio que retarde a sorte certa
que aguarda os relógios, lábios e pianos.
Quando achar um caminho errado destes,
escondo minutos da espera que não quero.
Aqui comigo nesta sombra, nesta névoa,
a ilusão feliz de que tudo ainda é e nada era.
Arquivado em: poesia