Letras Elétricas
Textões e ficções sem compromisso
by J. G. Gouvêa Atualizado em 31 de julho de 2021

Indulgência Plenária Antecipada

Publicado em: 21/02/2009

Cenário: um confessionário silencioso. Um bandidão famoso, ligado a um grande empresário, se confessa com um padre.

BANDIDÃO: Vossa Eminência precisa me conceder esta graça.

PADRE: Não sei, meu filho. É algo difícil. Não sei como avaliar.

BANDIDÃO: Por favor, Eminência, é um caso importante.

PADRE (consultando um enorme livro e com uma calculadora HP 12C na mão): então vejamos…

(minutos depois)

BANDIDÃO: Já tem a resposta, Eminência?

PADRE: Acho que sim, mas ficaram dúvidas. Serão nove, correto?

BANDIDÃO: Nove. Pondo dois extras se ocorrer algum imprevisto.

PADRE: Dos nove, então, dois serão de forma não planejada e rápida e somente sete estão já decididos…

BANDIDÃO: Confere.

PADRE: E como será?

BANDIDÃO: Do jeito nordestino, capando e sangrando devagar.

PADRE: Hum… Hum… E estará envolvido algum ato libidinoso?

BANDIDÃO: Talvez enfiar a peixeira no cu de cada um…

PADRE: Isso pode ser visto como ligeiramente libidinoso.

(faz cálculos)

BANDIDÃO: E então?

PADRE: Considerando que não é por sua vontade que o faz, mas por necessidade profissional e que desde já manifesta sincero arrependimento, acho que podemos fechar com 49 terços rezados em um semana, além de 49 mil reais pagos a vista.

BANDIDÃO: E os outros dois?

PADRE: Esses ficam como legítima defesa se chegarem armados ou como acidente se for apenas eliminação de testemunhas que não deviam estar lá.

BANDIDÃO: OK. Eminência. Posso pagar com cheque?

PADRE: Claro que não. Isso denunciaria sua participação. Pague em dinheiro vivo.

BANDIDÃO: OK. Eminência. Prazer fazer negócios com o senhor.

PADRE: Vai em paz meu filho.

(bandidão sai)

PADRE: Sacristão, mande entrar o próximo…

PROLETÁRIO: Eminência, eu levantei a mão contra minha mulher.

PADRE (analisando as roupas puídas e os dentes cariados do miserável): A mulher é a imagem da mãe de Nosso Senhor e agredi-la um crime hediondo! Reze 72 terços para cada vez que ergueu a mão e passe a ser dizimista regular.

PROLETÁRIO: Estou livre do purgatório?

PADRE: Se fizer o que disse, está livre do inferno. Do purgatório, só na misericórdia de Deus.

Arquivado em: contos