Letras Elétricas
Textões e ficções sem compromisso
by J. G. Gouvêa Atualizado em 24 de junho de 2021

Não Me Acusem

Publicado em: 25/08/2010
Não me acusem de saber muito,
só porque tenho as mãos lisas.
Não é que eu estudei a fundo,
é que eu tenho tido outra vida.

Porém não pensem que ignoro
tudo que um homem deve.
Minha vida inteira eu estudo,
para algo certamente serve.

Uns saem de casa, certos do saber
e acham modos de moldar o mundo
ao que Deus lhes disse antes.
Eu saí ignorante
e andei entre abismos e vazios.

Quando cheguei aqui me estranharam.
Não porque ensinasse, mas porque sonhava.
Cheguei sonhando à terra onde não dormem.

Cheguei trazendo em meu bolso
o manual que eu tenho escrito,
cada dia de minha vida é um capítulo
e a lição que ensina não é doce
e nem serve para quem me ouve.

Hoje sei coisas que não soube de início,
mas sei ainda menos do que deveria.
Reconheço que aprendo lentamente
e que ainda esqueço provisórias coisas
que voavam antes da minha mente vaga.
Arquivado em: poesia
Assuntos: escrever saudades