Letras Elétricas
Textões e ficções sem compromisso
by J. G. Gouvêa Atualizado em 24 de junho de 2021

Provocações e Aforismas, 10

Publicado em: 15/12/2014

Na verdade eu gosto de segundas-feiras: chego para trabalhar animado e descansado. O chato da semana é aquele deserto chamado quarta-feira. Um dia tão maldito que os alemães, que dão nome a tudo, não lhe deram um nome. Para eles a quarta-feira é apenas o meio da semana (“mittwoch”).

Participar de grupos literários no Facebook não é frustrante, temos que ter em mente que, historicamente, a grande maioria dos aspirantes escritores era apenas a grande maioria.

Mundo pós-moderno é aquele em que as mulheres querem homens barbudos, mas de corpo depilado.

Eu ganho a vida escrevendo. Eu não sei o que seria da minha vida sem este pequeno prazer. Por isso digo que “ganho a vida” escrevendo.

Embora Hawking tema que a Inteligência Artificial possa destruir a humanidade no futuro, Gouvêa acredita que a estupidez natural pode impedir que este futuro chegue.

Um dia a humanidade duvidará que homens como Gandhi e Mujica tenham realmente pisado a face da Terra. Mas homens como Barack Obama e Vladimir Putin serão sempre tidos como reais.

A idolatria do tecnocrata é ingênua: não custa lembrar que essa turma de ladrões que saqueou a Petrobrás eram todos técnicos. E tem gente que acha que os diplomados são moralmente superiores.

O problema de seguir ordens alheias fielmente é que você sempre fica com cara de tacho quando seu mestre muda de ideia. Você que pagava de coerente e que jurava ter ideias próprias, agora tem que optar entre mudar radicalmente de lado porque seu mestre mudou, ou manter-se fiel aos “seus” princípios de ontem e deixar de gozar dos favores de quem manda. Pensando aqui como ficam todos os jornalistas vociferantes contra Cuba. O relógio dos paus-mandados está sempre uma hora atrasado, porque os cães treinados só latem quando estumados, não têm a permissão de ir à caça.

Arquivado em: incompletos